Páginas

O elemento 42.

Cof cof cof. 6:25h. Bolsa, óculos, fones, olhada básica no espelho, e ops, esqueci minha água. Cozinha, portão. E ar, finalmente ar livre. Pelos meus cálculos já estou atrasada 15 minutos, na verdade, agora são 20, corro contra o tempo, e pelas forças do meu amoleto consegui alcançar o ônibus. Não havia cabeça pra pensar em muita coisa, a paisagem pela janela do ônibus estava proporcionalmente linda. Fotógrafos amadores, e leitores. Achava aquilo lindo. Espontaneidade me conquista, queria estar com minha câmera e fazer alguns clicks.

Finalmente meu ponto, escola, ah, escola. Olhei pro celular, e estava atrasada alguns minutos. Mas como dizem atraso é mais um charme, no meu caso era mais uma dose de preguiça mesmo. Abri o caderno e peguei minha tabela periódica, aula de química. Elementos, símbolos e blá blá blá. Foquei na tabela, elemento 42. Mo, mo. Comecei a juntar símbolos e pude vê o quanto era surpreendente aquilo, poderia dizer eu te amo de uma forma nerd pra qualquer um. Comecei a viajar em outro mundo, á fazer rabiscos e combinações. Quando vi, já estava escrevendo um texto no resto da folha da pagina 144.


Eu te amo parecia tão simples, alguns elementos 63+52+95+8. E pronto, mas não, não é. Eu te amo, exige compromisso, amor, afeto, morada. Por isso que levamos uma vida inteira pra aprender á usa-lo. Gosto de "eu te amo" com impulso daqueles que de repente, olham olho no olho, e é dito. Durante brigas, abraços apertados, durante aventuras, loucuras. É muito mais amável, do que um eu te amo controlado. Porque quando a gente ama, não precisa ser dito, não precisa de status, ou qualquer coisa parecida. Precisa de amor, de verdade.

Inspire-se: Xadrez.


Não é nenhuma novidade que as estampas xadrez saíram das festas juninas, e invadiram o guarda-roupa durante todo o ano. Acabou de vez aquele tabu de que só se usa xadrez em junho. Eu particularmente amo essas estampas. E principalmente quando se fala se camisetas xadrez. Volta e meia roubo alguma dos meus irmãos. Trouxe algumas inspirações pra vocês.


Além de ser tendência no inverno, o xadrez incrementa o look. Short+camiseta básica nudem, adicionando o xadrez muda totalmente o look. Deixando basico e despojado. É uma peça coringa, e pode ser encontrado em bolsas, camisetas, camisetes, calças, saias e etc. 




É importante lembrar de algumas regras:

O xadrez no sentido diagonal é mais favorável para disfarçar áreas maiores do corpo, como por exemplo a barriguinha saliente e o culote.

A estampa no sentido horizontal dará destaque à parte do corpo que se deseja aumentar. É uma ótima maneira de aumentar o busto e alongar os ombros.

O xadrez no sentido vertical é recomendado em calças e saias, porque é uma boa forma de alongar e parecer mais alto.






Outro ponto que eu amo no xadrez é que ele deixa o look super despojado. Ao amarrar a blusa na cintura por exemplo, consegue-se deixar o look com um ar mais natural.

             2831794_DSC_990090_lb


                            65126_463577480344873_334545688_n

                  2834211_feb10.2

               

Já entrando nessa vibe, aqui meu look (e mesmo a foto estando escura demais) Acho que vale não é? Depois faço um post falando sobre os tipos de xadrez, e como a estampa é encontrada nos desfiles!

A culpa é das estrelas.

foto: melina souza

A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar. 

via: skoob.


Esse é um dos livros mais inspiradores que já li. As metáforas, os meio termos, os completos. Que teve direito á 5 estrelinhas e um favorito no skoob. A Hazel é forte (ou finge muito bem), com ótimas doses de ironia (opa). Gus é do tipo fofo, inteligente e que tem um humor negro perceptível, e algumas doses de ironia.
John Green conseguiu me definir com diversas frases, e termos do livro. Juntos, os dois Hazel e Gus, vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas. O romance dos dois não tinha nada de amor arrebatador, cheio de cenas quentes e aventuras, era simples, sincero, e o mais importante, real. Era parte de um universo limitado, mas de uma intensidade infinita. 
Não tinha nada de romances clichês (se bem que eu amo né, fazer o que) nada de coisas dramáticas  e muita melosidade. É aquele romance que surpreende, inspira.  
Não vou pagar de spoiler, então só tenho uma coisa a dizer: leiam é muito bom. A culpa é das estrelas abriu muitas portas, digo, muita gente por ai vive dizendo que ama/é livros e na verdade só leu ele (por modinha ou não) espero que continuem a lê depois, e entrem de fato no ~mundo dos livros~ Eu por exemplo sai indicando ele, porque realmente é perfeito. 

(o livro está em promoção na submarino: aqui

Até mais, O.k?

Parabéns pra mim.

Esse é o primeiro texto que eu escrevo com quinze anos, ou talvez seja o ultimo com quatorze, já que algumas coisas já estavam na minha cabeça á tempos. É uma mistura. Apaguei a luz, ela parece tirar meu foco, e a música que toca, é a mais nostálgica possível, devia ouvir ela á 1,2,3 anos atrás, sei lá.

Vejo algumas postagens no tumblr á exatamente um ano, e me lembro da minha fase apaixonada a ponto de querer trocar todos os presentes pra ter um cara ali, um cara que, bom, não vamos falar dele, e sim o quanto eu era apaixonada/louca por ele, sim, louca. Quem em seu estado normal trocaria todos os presentes por alguém ao teu lado? É, eu.

Esse ano não é diferente. Mas criei mais amor próprio, e acho que isso é muito bom, excelente. Os últimos dias têm sido tão nostálgicos, e confusos, tumultuados que tinha esquecido, dispersado a ideia que hoje, completo quinze anos. E não, o blog não vai mudar de nome, gosto de coisas marcantes, de quinze anos. Gosto da ideia de até quando tiver o blog posso me sentir uma dos quinze quando quiser.

Quinze anos, e já posso ouvir meu pai dizer que não sou mais uma menininha e que agora minhas responsabilidades cresceram, mas eu sempre soube disso, papai querido. Posso ouvir ele dizer como cresci, e como minha vó gostaria de me vê assim, grande, bonita, com saúde, se ainda estivesse viva. Lagrimas e lembranças à parte. Porque como meu pai diz, lembranças não combinam com animação.

Acordei, duas palmadas no rosto e um ACORDA GAROTA, VOCÊ TEM QUINZE ANOS AGORA. Quis que isso soasse pra mim mesma com aquelas coisas de filme americano sorri, e lavei meu rosto, duas espinhas ali, e eu havia prometido não mexer nelas. Continuei com meu pijama favorito, porque sempre passava a manha inteira com ele, não seria diferente hoje. Durante o banho fiquei imaginando coisas, relembrando momentos, estava muito nostálgica pra uma aniversariante. Mas não são piques de nostalgia, é meu cotidiano.


15 anos com coluna de 90. E sonhos, muito sonhos. Vontades absurdas. De sai por ai, jogar tudo pro alto sem precisar depois catar tudo, viver pra si mesma, viver um amor proibido, ou permitido, mas um amor, uma aventura. Porque quando se tem quinze anos, você pode ser quem você quiser. 

Já tive minha época patricinha, rocker, geek, e já fui noiva por um dia. Já fui loira, morena, e tentei pagar de ruiva. Já tive quedas, e decepções amorosas. Já pensei que sabia de tudo, quando na verdade não sabia de nada. Fui mordida por um cachorro, e achei aquilo a coisa mais maneira do mundo (antes da dor começar, claro) Já tive em alturas, e quase cai de lá, talvez eu não estivesse mais aqui, escrevendo esse texto, mas eu estou, e quer saber, o llegar a quince, foi mais rápido do que eu imaginava. 

(adios 14)

O lindo do John Green um dos meus escritores favoritos me desejou parabéns, e bem, eu to surtando hahahaha. <3

Enfim, obrigada por tudo. E adios 14, agora sou uma dos 15.
beijão!

Fotos da semana.

Oi vocês!
Esses dias quase não tive tempo pro blog, gincana, provas, trabalhos e etc. Fazia algum tempo que não atualizava a tag, fotos da semana. Então decidi postar algumas fotos tiradas da gincana. PORQUE ONDE TEM UNIÃO TUDO TÁ LINDO <3


 Prova viva da GARRUNIÃO <3 Rivais, e lindos. (o gatinho do texto






Foram só algumas pro post não ficar muito grande, no 3 on 3 mostro mais algumas. 
Com união todo mundo vai longe, e com garra e união vai mais longe ainda!!
Até mais, beijos.

Os amores do meu irmão.

Meu irmão era mais velho que eu, e mais novo que meu outro irmão. O do meio. Engraçado, risonho, palhaço, bobão.  Tinha convinhas, e um sorriso lindo. Que eu inclusive eu invejava. Nunca havia o visto com alguma namorada,  via boatos de ficantes, peguetes, rolos. Mas nada que fosse sério demais. Já o vi chorar por uma garota, á muito tempo atrás. Mesmo sendo mais nova que ele, me considerava mais madura naquela época. Como dizem, as meninas amadurecem primeiro. E eu gostava de esfregar isso na cara dele.

Á umas duas semanas, o sorriso dele estava mais bonito, mais verdadeiro, confortante. O bom humor era perceptível. Que inclusive ele largava do meu pé, me deixava madrugar no computador, porque estava ocupado demais trocando sms, ligações, e mimimi com uma guria que eu mal conhecia. Me lembrava do filme querido John, já que durante um mês e alguns dias que a Guria estava aqui, eles só se conheceram nas duas ultimas semanas. Trágico.

Ele havia chegado em casa triste, abatido, de cabeça baixa. Olhou pra o celular, pra tv. Havia um casal apaixonado, ele sorriu sem graça. Não precisei perguntar o que havia acontecido, pra saber que ele havia acabado de deixa-la na rodoviária. Fiquei com pena dele, com dó. Pensei se ela também estava assim, e pelo sms percebi que era reciproco. Ele parecia murmurar alguma coisa. Pelos meus cálculos, deveria estar se martirizando por só tê-la conhecido nas ultimas semanas aqui.

Ele em seus 17 anos já deveria entender que aquela era a lei da vida. Com meus 14 anos, as vezes sinto que sei muito mais da vida do que ele com seus 17. Que mal entendia sobre ele mesmo.  No outro dia vi ele chegar com um presente em casa, e com vários papeis de presente á escolher. Me senti na obrigação de ajuda-lo. Escolhi um papel de presente, simples. Com detalhes amorosos. Com um laço vermelho paixão.  O vi escrevendo algo, em uma folha amarrotada. Sorri, levantei procurando minha caixa de papeis pra cartão, escolhi um que combinasse com o cartão, e entreguei á ele.

Durante algum tempo fiquei observando ele escrever. De longe, podia vê o brilho no seu olho, seu sorriso ao escrever alguma palavra, e lembrar de algum momento. Lutei pra lê, e tudo o que ele me dizia, era “vai cuidar dos seus amores”. Mas eu não tenho um amor. Posso muito bem cuidar do dele.


A vida algumas vezes nos pregam algumas peças. Digo, todo santo dia a vida nos prega alguma peça. A gente não escolhe com quem o coração vai acelerar mais forte, quem vai fazer tuas mãos soarem e quem vai ser o motivo do sorriso. O que resta nessa vida é torcer pra que seja reciproco. Porque não adianta quantas moedas você jogou na ponte, se você jogou os dentes no telhado, ou se deixou debaixo do travesseiro. Se todos os dedos, inclusive os dos pés estão cruzados. Não importa, o que é pra ser. Vai ser. E nada nem ninguém pode mudar isso. Nem você. 

Inspiração: CBJR

Charlie Brown Jr. (também abreviada como CBJR) foi uma banda brasileira formada em Santos no ano de 1992. Misturou vários ritmos como o rockhardcore, o reggae, o rap, o skate punk, criando um estilo próprio. Suas letras fizeram críticas à sociedade da perspectiva do universo jovem contemporâneo. Todos os membros da banda eram naturais da cidade de Santos, exceto o vocalista Chorão, que nasceu em São Paulo.

Apesar da morte do cantor chorão, e a formação de outra banda A banca. As letras das músicas ainda fazem muito sucesso. Porque como dizem, Chorão virou lenda. Algumas paginas por ai ~narram~ a história e as letras das músicas do cantor. Uma delas é a Eu nasci pobre, mas não nasci otário, com mais de 18 mil likes. Da qual o meu irmão é dono, separei algumas das melhores fotos pra mostrar pra vocês.


































Tem muito mais imagens e informações lá na pagina, não deixem de curtir: https://www.facebook.com/RockCBJR

Beijos!!

Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger